25 de ago de 2016

DICAS DE QUALIDADE DE VIDA E SAÚDE



10 dicas de qualidade de vida e saúde que todo mundo conhece, mas ignora.

#1 – Só Vai Sair da Mesa Depois de Comer Tudo
Procure fazer refeições com alimentos naturais, consuma verduras, frutas e legumes. Estes alimentos são ricos em nutrientes.
Evite alimentos gordurosos e com muito sal e açúcar. Diminua ao máximo o refrigerante no seu dia a dia.

#2 – Beba Muita Água
Não espere sentir sede, sempre que puder beba um copo de água, os médicos recomendam 2 litros por dia. Substitua o refrigerante por água e tenha sempre um garrafinha de água quando estiver fora de casa.

#3 – Mexa-se
Fazer exercícios físicos regulares com certeza você sabe que é importante, mas não precisa se matar na acadêmia.
Faça algumas mudanças nos seus hábitos, troque o carro pela bicicleta ou caminhada, o elevador pela escada, e assim por diante. Sempre que possível, dance, é muito bom para o corpo e para a mente.

#4 – Pensamentos Positivos
Sua vida pode estar um caos, mas mesmo assim, tenha pensamentos positivos, isso ajuda a se concentrar, previne doenças e ainda melhora as condições de você encontrar soluções para seus problemas.

#5 – Organização é Tudo
Nada melhor do que encontrar tudo organizadinho ao redor, não é verdade?! Pois é, mantenha a sua vida organizada, tudo limpinho, suas tarefas em dia, controle financeiro. Isto ajuda a ter uma qualidade de vida mais tranquila.

#6 – Tudo Tem Limite
Tudo tem limite, principalmente o seu corpo, não faça dietas e exercícios que te exijam muito desgaste físico por muito tempo. Cuidado com isso.

#7 – Não Esquece o Protetor, hein!
Cada vez o sol parece estar mais quente, por isso, não só quando for a praia, mas em qualquer ocasião em que precise ficar algumas horas embaixo do sol, principalmente entre as 10h e às 16h, use protetor solar de acordo com o tipo de sua pele. Procure ajuda de uma farmacêutico na hora de comprar.

#8 – As Vezes é Bom Ficar Sozinho
Por mais que você tenha muitos amigos te chamando o tempo todo no WhatsApp e no Facebook e, em todas as outras redes sociais, além dos seus amigos que te procuram presencialmente, como também, todas as atividades que você precisa fazer.
De vez em quando é bom ficar sozinho, desligar o celular e ficar somente observando a natureza. Isso é muito bom!

 #9 – Senta Direito Menino!
A postura corporal é muito importante para a sua qualidade de vida, a maneira de deitar, sentar, carregar peso ou mesmo andar é essencial para a sua saúde, com o passar dos anos com uma postura errada acarreta problemas e até lesões.
Procure informações da melhor postura para você que trabalha em pé ou trabalha sentado.

#10 – Já Passou da Hora de Você Ir Dormir!
Não tem muito o que falar, você sabe a importância de uma boa noite de sono. Ficar sem dormir traz riscos diversos para a sua saúde, como irritação, falta de concentração, dores no corpo e até dores de cabeça intensa.

17 de ago de 2016

Fica através deste acordado


Fica através deste acordado que todo filho tem o direito de admirar seu pai e brilhar os olhos quando este chega do trabalho. 

É direito do filho exigir abraços longos e apertados; dormir em cima de barriga do pai nos finais de semana; abrir todos os seus sentimentos quando estiverem presos no engarrafamento; pedir para comprar todos os produtos que apareçam no seu campo de visão quando estiverem no shopping. Ao pai fica assegurado o direito de dizer que está sem dinheiro. 

É direito constituído ao filho reclamar, chorar por qualquer coisa, dizer que ninguém o entende e passar por uma fase difícil durante a adolescência. 

Fica assegurado ao pai o direito de colocar o filho de castigo e tirar dele o celular, mesmo sabendo que tais atitudes acentuarão os efeitos descritos na abertura deste parágrafo. Ao filho cabe se arrepender depois de velho e declarar, mesmo que de maneira informal, "agora eu entendo meu pai". 

Fica assegurado o direito de todo pai passear com seu filho de mão dada. Todo pai tem o direito de dizer "eu te amo" em qualquer hora, local e situação. Todo pai tem direito a fazer cócegas na barriga da filha. Todo pai tem o direito de chorar nas apresentações escolares. Todo pai tem o direito de ser maquiado pela filha em um sábado a tarde. Todo pai tem o direito de imitar o lobo mau em restaurantes e correr atrás das crianças. Parágrafo único: objetos quebrados durante as brincadeiras deverão ser repostos. 

Fica acordado que pai e filho nunca se separarão. Nunca brigarão pra sempre. Nunca dirão adeus. Nunca morrerão. Mediante viabilidade científica, fica garantida vida eterna, próspera e saudável para pais e filhos. Que se amem pra sempre e sejam felizes. E por estarem assim justos e acordados, assinam em pensamento o presente contrato.

Texto de Marcos Piangers
Do livro O PAPAI É POP

5 de ago de 2016

Aleitamento nas primeiras horas de vida pode salvar 800 mil bebês, diz Unicef

  O leite materno é a primeira vacina do bebê, a primeira e melhor proteção que tem contra a doença e os transtornos.
  Cerca de 77 milhões de bebês, um de cada dois, não tomam leite materno nas primeiras horas de vida, o que lhes priva de nutrientes, anticorpos e contato com a pele da mãe que são essenciais para protegê-los das doenças e da morte, segundo denunciou nesta sexta-feira o Unicef.
  "Fazer com que os bebês esperem tempo demais para ter o primeiro contato fundamental com sua mãe fora do útero diminui as possibilidades do recém-nascido de sobreviver e limita a produção de leite da mãe", afirmou em comunicado a assessora superior de nutrição da organização, Francia Bégin.
  Além disso, segundo explicou o porta-voz do Unicef em Genebra, Christophe Boulierac, se todos os bebês fossem alimentados só com leite materno desde o momento em que nascem até os seis meses, "mais de 800 mil vidas seria salvas a cada ano, por isso que é uma questão de vida ou morte".
  Segundo os especialistas, quanto mais o aleitamento é atrasado, maior é o risco de o bebê morrer no primeiro mês de vida.
  Atrasar o aleitamento materno de 2 a 23 horas depois do nascimento aumenta o risco de morrer nos primeiros 28 dias de vida em 40% e atrasá-la por 24 horas ou mais aumenta o risco de morte em 80%.
  Os bebês que não tomam leite materno têm 14 vezes mais probabilidades de morrer do que aqueles que se alimentam só com leite materno.
  "O leite materno é a primeira vacina do bebê, a primeira e melhor proteção que tem contra a doença e os transtornos. Quase metade das mortes de crianças menores de cinco anos são de recém-nascidos, a aleitamento antecipado pode fazer a diferença entre a vida e a morte", asseverou Begin.
  Em muitos países é costume alimentar o bebê com fórmula para lactantes, leite de vaca ou água com açúcar nos três primeiros dias de vida, o que atrasa a lactação.
Os progressos nestas zonas para aumentar a prática do aleitamento foram lentos nos últimos anos.
  Na África Oriental e Meridional as taxas de aleitamento precoce aumentaram 10% desde o ano 2000 e nas partes Ocidental e Central do continente não houve mudanças.
  E isso apesar de as taxas de mortalidade entre os menores de cinco anos serem as mais altas do mundo.
  Na Ásia meridional a taxa de aleitamento precoce experimentou uma melhora (de 16% no ano 2000 a 45% em 2015), mas o Unicef alerta que ainda há 21 milhões de recém-nascidos que não são amamentados em seus primeiros dias.
  Em nível mundial, só 43% dos bebês menores de seis meses são amamentados de maneira exclusiva.
Autor: EFE
http://www.sissaude.com.br/sis/inicial.php?case=2&idnot=27257

1 de ago de 2016

AOS PEDIATRAS PELA PASSAGEM DO SEU DIA 27/07

“Em medicina somente quem tem muito amor a dar, escolhe pediatria como especialidade. 
 
Os pediatras, diz a lenda, falam com Deus. Fazem seu diagnóstico através de uma semiótica ainda púbere, retirada da aura dos anjos ou do gesto incipiente do simbólico balbucio. Estes especialistas prescindem da fala para o diagnóstico, viajam além dos olhos, têm a leveza do beija-flor e a mão é pluma que cai, transformando o gesto em tolerância e carícia. 
 
Na criança, a dor, a mímica, a careta, o riso, o choro, a cor, o sabor, a lágrima têm uma interpretação fora dos tratados da semiologia tradicional. E, somente quem tem n’alma a permissão e o endosso de Deus, pode examinar a leveza do gesto, a complacência do olhar, a permissividade do sorriso, a mudez transitória, para conceber na criança, a certeza do diagnóstico e da terapêutica. 
 
Bastaria esta graça, este império de decências para colocar o pediatra bem mais perto de Deus. Amém!”
 
José Teles - Academia Cearense de Letras

Pediatras, parabéns pelo seu dia!!!
Equipe da Vita Clínica

AMAMENTAR

Amamentar é um ato psíquico, 
Indiscutivelmente,um ato político, 
Seguramente,um gesto psicológico... 
Amamentar é um momento magnífico, 
Traduz,decerto,um posicionamento crítico, 
Amamentar é um ícone ecológico... 
Para muitas mães,traduz um ato prático, 
Para muitos bebês,um exercício rítmico, 
Talvez,dos movimentos,o mais democrático,
 Dos comportamentos, o mais mítico... 
Amamentar é fantástico... 
É o antídoto contra o bico plástico, 
É mais antigo que o homem paleolítico, 
Definitivamente, o encontro mais romântico 
Possivelmente,o termo mais poético, 
Provavelmente,o contato mais intimo, 
E,embora às vezes ganhe um tom dramático, 
Não há como negar-lhe o lado místico... 
Não há como não ver seu lado lúdico, 
De significado tão elástico, 
Coerente como um cálculo aritmético. 
Por isso um gesto sempre tão simpático, 
Por isso nunca de um padrão estático, 
Por isso quase sempre um gosto estético... 

Marcus Renato de Carvalho
Luis Alberto Mussa Tavares

PORQUE PEDIATRAS PROIBEM O ANDADOR?



A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) estima que o acessório, apesar das recomendações dos médicos, ainda é usado por cerca de 60 a 90% dos bebês entre seis e 15 meses de idade. E os riscos são inúmeros: queimaduras (pela proximidade com tomadas e panelas), intoxicações, afogamentos e, principalmente, quedas. Além de atrasar o desenvolvimento motor dos bebês.

Estudos mostram que 70% das crianças que sofreram traumatismos com andadores estavam sob a supervisão de um adulto. Outro fator que facilita os acidentes é o fato do peso da cabeça da criança ser desproporcional ao resto do corpo. Ela pende para frente com facilidade, postura que é potencializada pelo andador.

Além disso, o uso do aparelho pode atrasar o desenvolvimento psicomotor da criança, fazendo com que ela leve mais tempo para ficar de pé e caminhar sem apoio. Isso sem falar que ele encurta uma etapa importante, o engatinhar. Outro prejuízo diz respeito a atividade física: embora ganhe mais mobilidade, a criança gasta menos energia para alcançar o que lhe interessa. “Todos os seres humanos aprendem a caminhar sem andador”, diz Nei Botter Montenegro, ortopedista e traumatologista do Hospital Albert Einstein, de São Paulo. “Por isso, além de ser perigoso, ele não traz nenhuma contribuição ao desenvolvimento da criança.”
Ainda assim, o produto é facilmente encontrado nas lojas. Em alguns países, como o Canadá, a comercialização do andador é proibida. No Brasil, infelizmente, não há legislação que proteja a criança nesse caso.

Pedimos aos pais que sejam responsáveis e não usem andadores para seus bebês.

Semana estudual da amamentação

19 de jul de 2016

Como os pais estão contribuindo pra aumentar a obesidade infantil no Brasil mesmo sem perceber



Em tempos de blogueiras fitness, academias em cada esquina, culto ao corpo e uma infinidade de programas culinários voltados para a alimentação consciente, pode parecer que as pessoas estão cada vez mais magras e saudáveis. Mas isso não é verdade. Pelo menos não quando estamos falando das nossas crianças.

Nos últimos anos foi disparado o alerta vermelho da obesidade infantil ao redor do mundo. Principalmente em países emergentes, como o Brasil. E quem chama atenção para o tema é a OMS, Organização Mundial de Saúde.

Segundo a organização, a obesidade infantil atingiu nos últimos anos níveis preocupantes, ameaçando a saúde das nossas crianças e reduzindo a estimativa de vida. Pela primeira vez na história estima-se que os filhos tenham uma longevidade menor que seus pais. E um dos principais fatores para isso pode estar na balança.

Para se ter uma ideia, em 2014 o número de crianças obesas em todo o mundo era de 41 milhões, 10 milhões a mais do que no início da década de 90.

No Brasil, estima-se que hoje uma em cada três crianças apresentem sobrepeso. Números preocupantes na visão da OMS que ainda alerta para a ineficácia dos programas para frear esse epidemia: “até a data, os progressos na luta contra a obesidade infantil têm sido lentos e inconsistentes”.

Mas quais são os vilões por trás disso tudo? Em muitos casos podem ser aquelas pessoas que mais se preocupam com a saúde dos pequenos: os próprios pais. Médicos, nutricionistas e psicólogos estão alertando para algumas atitudes tomadas por pais que podem estar levando aos dois principais causadores da obesidade infantil: sedentarismo e alimentação.

Sedentarismo

Uma criança precisa gastar de 2.500 a 3.000 calorias em atividades físicas por semana. Parece muito, mas como o metabolismo infantil costuma ser mais acelerado, pequenas atividades diárias podem contribuir. Contudo, o que vemos hoje é cada vez menos brincadeiras ao ar livre e mais entretenimento entre quatro paredes, como videogame, tablets e televisão.

Isso passa, claro, pela preocupação de pais em expor seus filhos à violência das ruas. Mas também existe o poder do exemplo.

Quando os pais optam pelo carro até para percorrer pequenas distâncias ou não praticam qualquer atividade física, passam uma mensagem para os filhos. Pesquisas apontam que filhos de mães ativas têm 60% mais chances de praticar alguma atividade física. Quando ambos os pais mantêm uma vida ativa, o número sobre para 80%.

Ou seja, se você quer que seu filho pratique atividade física regularmente, o primeiro passo é colocar você mesmo o corpo em movimento.

Alimentação

Aqui mora outro grande perigo para a saúde infantil. E muitas vezes atitudes que acreditamos serem inocentes podem estar causando danos irreversíveis à saúde de nossos filhos.

O primeiro passo é aprender a dizer não. Pais que não impõem limites na alimentação dos filhos, permitindo alimentos calóricos e guloseimas a qualquer hora, estão estimulando um comportamento nocivo. O ideal é evitar lanches fora de hora e estipular apenas um dia por semana para aquelas “escapadinhas”.

Tratar a comida como recompensa ou castigo prejudica a relação das crianças com a alimentação, criando barreiras que muitas vezes duram a vida toda. Assim como criar brincadeiras à mesa, como aviãozinho por exemplo. A mesa é hora de seriedade.

Mas talvez a questão mais importante aqui seja a informação. Muitos pais acabam dando alimentos para seus filhos sem conhecer o real valor nutricional ou então sem perceber como alguns alimentos podem prejudicar a saúde das crianças.

Um bom exemplo são os refrigerantes e sucos artificiais, bebidas que possuem pouco ou nenhum valor nutritivo.

Fica um alerta para os pais – O QUE VOCÊS ESTÃO DANDO PARA SEUS FILHOS COMEREM?



POR QUE NÃO SE DEVE DEIXAR O BEBÊ CHORAR



Durante muito tempo se pensou que o melhor para que o bebê aprenda a lição é deixar que chore, não atendê-lo no momento da ‘birra’. No entanto, um recente estudo nos alerta sobre essa prática: deixar chorar a um bebê entre 0 e 3 anos pode ser muito prejudicial para o seu desenvolvimento emocional. Por quê?

O Dr. James McKenna, diretor do Laboratório do Sono da Universidade de Notre Dame, explica que existe uma zona do cérebro, a região orbital central, que se desenvolve desde o nascimento até os 3 anos. Esta zona é a encarregada de controlar o estresse e a ansiedade. Se durante esta etapa o bebê suporta doses elevadas de estresse, sua capacidade de ‘lutar’ contra o estresse ficará prejudicada para sempre.

A pergunta é: muito bem, temos que tentar que o nosso filho não sofra estresse nos seus primeiros anos de vida, mas o que gera estresse nele? Perder a sua mãe de vista? Ter que suportar barulhos fortes? Ter fome? Dor?

O Dr. McKenna responde com tranquilidade: o que mais produz estresse em um bebê é se sentir desprotegido, chorar e não encontrar consolo. Chorar e não ser atendido.

Como exemplo, essa impaciência de todos os pais para que o bebê aprenda a dormir a noite toda. Algo que os bebês não estão programados. Muitos pais insistem em tentar que eles durmam o máximo possível desde o primeiro dia. E para isso, deixam que chore e chore sem parar até que durma por esgotamento. Mas, o bebê não dormirá porque tenha aprendido a lição. O bebê dormirá porque terá gerado uma série de endorfinas e outras substâncias que tentam reduzir o estresse. Ou seja, dormirá por puro cansaço. E o que ele vai tirar dessa experiência? Que não pode confiar em ninguém. Que está sozinho.
Consequências de deixar o bebê chorar

O que pode acontecer a um bebê que está sendo submetido a grandes doses de estresse nos seus primeiros 3 anos de vida?

Segundo o Dr. McKenna, crescerá como uma criança que desconfia de todos, que prefere o isolamento, temerosa, com a autoestima baixa, com um vazio interior, com problemas para controlar as suas emoções, mais ansiosas e menos cooperantes.

Como evitar isso? Reforçando o vínculo com o bebê desde o início. Abraçando-o, consolando-o e atendendo-o nos seus momentos de estresse, medo ou ansiedade.

Estefanía Esteban