28 de nov de 2016

CINCO MARCAS DE PROTETOR SOLAR NÃO PASSAM EM TESTE DE QUALIDADE



Fonte: http://veja.abril.com.br/saude/5-marcas-de-protetor-solar-nao-passam-em-teste-de-qualidade

Em teste de qualidade realizado pela Proteste, cinco marcas de protetor solar para o rosto (Sundown, L’Oreal, ROC, Sunmax e La Roche Posay) apresentaram fator de proteção inferior ao indicado na embalagem. O protetor da L’Oreal foi considerado ruim por apresentar 26% do FPS rotulado ao invés dos 33% exigidos para UVA.

A metodologia da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permite uma variação de até 17% em relação ao que é informado na embalagem e a formulação do produto, mas nessas cinco marcas, a diferença de percentual foi superior à permitida.  Desde 2012 a legislação brasileira determina que, nos filtros solares, a proteção UVA deve ser um terço do FPS. Ou seja: um protetor com FPS 60 precisa ter proteção UVA igual a 20, no mínimo.

Os raios UVA atingem as camadas mais profundas da pele e são os principais responsáveis pelo envelhecimento precoce, bronzeamento, além de também contribuírem para o câncer de pele. Já o FPS avalia a capacidade de os produtos filtrarem a radiação do tipo UVB, que atinge a camada mais superficial da pele, podendo causar vermelhidão, queimaduras e câncer de pele.

O valor de FPS consiste na razão entre o tempo de exposição à radiação ultravioleta necessário para produzir vermelhidão na pele protegida pelo protetor solar e o tempo, para o mesmo efeito, com a pele desprotegida. Quando se usa um filtro solar com FPS 30, por exemplo, a mesma pele leva 30 vezes mais tempo para ficar vermelha. Por isso, saber o exato fator de proteção é fundamental, pois indica o quanto se está protegido contra essa radiação.

O consumidor é duplamente prejudicado com essas alterações, pois além de pagar um preço mais caro por uma proteção que não é oferecida – o valor do produto é proporcional ao Fator de Proteção Solar, ou seja, quanto mais alto o FPS, mais caro -, ele está menos protegido dos efeitos nocivos dos raios solares.

A L’Oréal refuta, de forma absoluta, os resultados apresentados pela Proteste e desconhece os critérios utilizados na realização dos testes em protetores solares conduzidos por esta entidade. O Grupo e suas marcas La Roche-Posay e L’Oréal Paris não foram informados sobre o laboratório no qual foram feitos esses testes, tampouco as condições e os resultados detalhados dos mesmos.

Essa foi a quarta vez que a Proteste testou protetores solares. Embora agora tenha sido analisada a versão para o rosto, os resultados mostraram que o problema de discrepância entre o indicado nos rótulos e a real proteção oferecida persiste. Diante disso, a organização solicitou uma fiscalização mais adequada dos produtos, pediu as fabricantes dos produtos que não passaram no teste que corrijam a informação nos rótulos e que a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) obrigue os fabricantes a fazer um recall desses protetores.

24 de nov de 2016

DOE ÓRGÃOS

Você sabia que é a família quem autoriza o procedimento quando a situação do paciente é irreversível? Se você quiser ser um doador, converse com sua família. É desta conversa que nasce a decisão que pode trazer nova vida às pessoas que aguardam na lista por um transplante de órgãos e tecidos. #DoeÓrgãos

CONVERSANDO COM SEU GINECOLOGISTA - ENDOMETRIOSE E VIDEOLAPAROSCOPIA GINECOLÓGICA



ENDOMETRIOSE 

A endometriose caracteriza-se por uma doença crônica, inflamatória e hormônio dependente que afeta as mulheres no período reprodutivo.

As queixas da mulher com endometriose são variáveis e podem estar relacionados à localização da doença. As mais frequentes são dismenorreia (dor durante o fluxo menstrual, cólica), dispareunia de profundidade (dor na relação no interior da pelve), dor pélvica crônica (dor que perdura por mais de seis meses) e alterações intestinais e urinárias durante o período menstrual, como dor e sangramento.

Muitas mulheres consultam vários ginecologistas por anos até se estabelecer o diagnóstico definitivo da doença. O diagnóstico de endometriose deve ser considerado em todas as mulheres em idade reprodutiva com as queixas descritas acima, associados a uma dificuldade para engravidar, além de um detalhado exame com seu ginecologista na busca de alterações pélvicas.

A associação de sintomas com alterações do exame físico são bastante indicativas de doença. Sintomas em órgãos distantes da pelve feminina que ocorrem no período menstrual são suspeitos de endometriose não ginecológica como o sangramento nasal, entre outras. O diagnóstico definitivo de endometriose é CIRÚRGICO, recomendado a Vídeo-Laparoscopia.

As mulheres com endometriose tem uma baixa qualidade de vida quanto aos fatores disposição física/mental e dor corporal, tendo piores resultados quanto maior o tempo para o seu diagnóstico.
 
VIDEOLAPAROSCOPIA GINECOLÓGICA

A vídeo-laparoscopia ginecológica é um método operatório minimamente invasivo que permite monitorar o ato operatório em tela de vídeo e realizar intervenções complexas por meio de abordagem cirúrgicas a partir de minúsculas incisões de acesso a pelve feminina.
O procedimento é realizado com um instrumento denominado laparoscópio. Esse instrumento é uma pequena ótica tubular, que contém uma fonte de luz e uma câmera acoplada, emitindo imagens em tempo real do interior da cavidade abdominal e da pelve a um monitor  que está  conectado à câmera do laparoscópio.
A vídeo-laparoscopia ginecológica pode ser utilizada para auxiliar no diagnóstico de uma série de doenças que acometem a pelve feminina através de uma visualização direta e biopsias.  As cirurgias ginecológicas estão entre as intervenções vídeo-laparoscópicas mais frequentes, exemplo: Histerectomia (retirada de útero), Cirurgias nos ovários, trompas e cirurgias de endometriose entre outras.
Os principais benefícios da vídeo-laparoscopia quando comparada à cirurgia convencional aberta são:
  1. Maior satisfação dos pacientes
  2. Menor traumatismo operatório
  3. Pronto restabelecimento pós-operatório
  4. Menor trauma peritoneal
  5. Menor quantidade de aderências
  6. Menor índice de infecção (hospitalar, da incisão, etc.)
  7. Cicatriz operatória menos evidente 
  8. Preservação da dinâmica da parede abdominal. 
  9. Menor custo operacional global e menor tempo de internação.
  10. Menor índice de complicações cárdio-vasculares e pulmonares em pacientes de alto risco (idosos, cardíacos, etc.).
  11. Menor imunodepressão.
  12. Menos dor no pós-operatório imediato e tardio
O PROCEDIMENTO
Em cirurgias vídeo-laparoscópicas, são realizadas pequenas incisões cirúrgicas (medindo cerca de 1,0-1,5 cm), habitualmente na região umbilical e nas regiões inguinais. Para a realização do procedimento cirúrgico é necessário a introdução de gás na cavidade abdominal com o intuito de distendê-la. Isso permite uma maior visibilidade das estruturas e um maior espaço para o cirurgião realizar qualquer tipo de manipulação no órgão da pelve feminina.
Dependendo do tipo de procedimento a ser realizado, pode-se optar por realizar algumas incisões cirúrgicas extras (principalmente para facilitar a manipulação das pinças ou para retirar peças cirúrgicas maiores).

RECUPERAÇÃO APÓS A VIDEOLAPAROSCOPIA
A alta hospitalar vai depender da complexidade cirúrgica, mas dependendo do procedimento sua alta pode ser logo após a recuperação anestésica ou  em um ou dois dias dependendo da complexidade.
Nos primeiros dias após a cirurgia, é comum apresentar dor ou desconforto na cavidade abdominal, principalmente nos locais aonde foram realizadas as incisões cirúrgicas. Não tenha receio em utilizar medicações analgésicas para combater esses sintomas.
Uma pequena quantidade do gás que foi utilizado para distender sua cavidade abdominal pode permanecer dentro do abdome após o procedimento, causando alguns sintomas:
·        Dor no ombro (decorrente da irritação diafragmática);
·        Sensação de gases intra-abdominais;
·        Desconforto no andar superior do abdômen.

Esses sintomas são comuns e você não deve se preocupar. O período de recuperação é curto, durando geralmente um a dois dias após o procedimento (tempo necessário para o gás ser absorvido).
O período de recuperação é variável entre cada paciente. Depende de diversas condições, tais como o motivo do procedimento ter sido realizado, sua condição física e o surgimento ou não de possíveis complicações.
Caso você tenha realizado a vídeo-laparoscopia, provavelmente poderá retomar as suas atividades cotidianas em um período curto de dias.
É importante que você siga corretamente as orientações fornecidas pelo seu médico. 

Dr. Leandro Netto – CREMERS 15444 – Ginecologista e Cirurgião de vídeolaparoscopia




9 de nov de 2016

JULGAMENTOS

"Havia numa Aldeia um velho muito pobre que possuía um lindo cavalo branco.
Numa manhã ele descobriu que o cavalo não estava na cocheira.
Os amigos disseram ao velho:
– Mas que desgraça, seu cavalo foi roubado!
E o velho respondeu:
– Calma, não cheguem a tanto.
Simplesmente digam que o cavalo não está mais na cocheira.
- O resto é julgamento de vocês.
As pessoas riram do velho.
Quinze dias depois, de repente, o cavalo voltou.
Ele havia fugido para a floresta.
E não apenas isso; ele trouxera uma dúzia de cavalos selvagens consigo.
Novamente as pessoas se reuniram e disseram:
– Velho, você tinha razão.
Não era mesmo uma desgraça, e sim uma bênção.
E o velho disse:
– Vocês estão se precipitando de novo.
Quem pode dizer se é uma bênção ou não?
Apenas digam que o cavalo está de volta.
O velho tinha um único filho que começou a treinar os cavalos selvagens.
Apenas uma semana mais tarde, ele caiu de um dos cavalos e fraturou as pernas.
As pessoas se reuniram e, mais uma vez, se puseram a julgar:
– E não é que você tinha razão, velho?
Foi uma desgraça seu único filho perder o uso das duas pernas.
E o velho disse:
Mas vocês estão obcecados por julgamentos, hein?
Não se adiantem tanto.
Digam apenas que meu filho fraturou as pernas.
Ninguém sabe ainda se isso é uma desgraça ou uma bênção…
Aconteceu que, depois de algumas semanas, o País entrou em Guerra e todos os jovens da aldeia foram obrigados a se alistar, menos o filho do velho.
E os que foram para a guerra, morreram…
Quem é obcecado por julgar, cai sempre na armadilha de basear seu julgamento em pequenos fragmentos de informação, o que o levará a conclusões precipitadas.
Nunca encerre uma questão de forma definitiva, pois quando um caminho termina, outro começa, quando uma porta se fecha, outra se abre…
As vezes vemos apenas a desgraça e não vemos a bênção que ela nos traz…"

(Osho)

2 de nov de 2016

LINDA MENSAGEM

Sabe qual é a ironia da vida?
É ter pressa para crescer e, depois, suspirar pela infância perdida! É perder a saúde, para ter dinheiro e, depois, perder dinheiro para ter saúde!
É pensar ansiosamente no futuro e esquecer o presente e, mesmo assim, não viver nem o presente e nem o futuro!
É viver, como se nunca fôssemos morrer e morrer, sem nunca ter vivido! A vida é feita destas contradições.
A palavra "vida" tem uma letra " V", o resto é "ida"... Desfrute do presente e da companhia de quem te faz feliz! " O amanhecer é a parte mais bonita do dia, porque é quando Deus te diz: Levanta-te! Te presenteio com outra oportunidade de viver e de começar, novamente. 
Os dias bons te dão felicidade, os dias ruins te dão experiência, as tentativas te mantêm forte, as provas te mantêm humano, as quedas te mantêm humilde, mas, somente DEUS te mantém de pé"!

CAMPANHA


18 de out de 2016

QUANDO O ANTICONCEPCIONAL PERDE SEU EFEITO



Um dos principais erros: esquecer-se de tomar uma pílula. Quando isso ocorre, você deve tomá-la assim que se lembrar. Mas só vale se esqueceu apenas um comprimido. Se foram dois ou mais, o método perde a eficácia e, aí, é preciso providenciar imediatamente outra forma paralela de evitar a gravidez como o preservativo. Continue tomando pílulas até o final da sua cartela para não sofrer alteração hormonal alguma. E use preservativo até vir a próxima menstruação.

A eficiência da pílula pode ser diminuída também por: má absorção devido a vômitos ou à diarreia, consumo excessivo de bebidas alcoólicas e medicamentos que baixam os níveis de estrogênio ou progesterona.

O ideal é tomar o seu anticoncepcional sempre no mesmo horário. E não se pode substituir o comprimido que se toma regularmente pela pílula do dia seguinte, recomendada apenas em situações emergenciais — como quando a camisinha se rompe ou se a mulher é vítima de estupro.

PARABÉNS AOS NOSSOS COLEGAS DE PROFISSÃO


30 de set de 2016

IV JORNADA GAÚCHA DAS LIGAS DE PEDIATRIA


ENDOMETRIOSE

A endometriose caracteriza-se por uma doença crônica, inflamatória e hormônio dependente que afeta as mulheres no período reprodutivo.

As queixas da mulher com endometriose são variáveis e podem estar relacionados à localização da doença. As mais frequentes são dismenorreia (dor durante o fluxo menstrual, cólica), dispareunia de profundidade (dor na relação no interior da pelve), dor pélvica crônica (dor que perdura por mais de seis meses) e alterações intestinais e urinárias durante o período menstrual, como dor e sangramento. 

Muitas mulheres consultam vários ginecologistas por anos até se estabelecer o diagnóstico definitivo da doença.

O diagnóstico de endometriose deve ser considerado em todas as mulheres em idade reprodutiva com as queixas descritas acima, associados a uma dificuldade para engravidar, além de um detalhado exame com seu ginecologista na busca de alterações pélvicas. A associação de sintomas com alterações do exame físico são bastante indicativas de doença. Sintomas em órgãos distantes da pelve feminina que ocorrem no período menstrual são suspeitos de endometriose não ginecológica como o sangramento nasal, entre outras. O diagnóstico definitivo de endometriose é CIRÚRGICO, recomendado a Vídeo-Laparoscopia.

As mulheres com endometriose tem uma baixa qualidade de vida quanto aos fatores disposição física/mental e dor corporal, tendo piores resultados quanto maior o tempo para o seu diagnóstico.

Dr. Leandro Netto

Ginecologista e Cirurgião de Vídeolaparoscopia

Rinossinusite

A rinite é uma inflamação da mucosa nasal, que reveste desde a parede do nariz até os seios da face. Podem ser alérgicas, infecciosas, de causa desconhecida, hormonais ou medicamentosas. A rinite alérgica é uma doença inflamatória comum na infância, sendo a principal causa de obstrução nasal nos consultórios de pediatras e alergistas. Espirros em salva, coriza, prurido e obstrução nasal são os principais sintomas. A rinite alérgica compromete a qualidade de vida, ajuda a aumentar a estatística das sinusites e otites médias, contribuindo em determinadas ocasiões para o crescimento desarmônico crânio facial. Estima-se que 20% da população brasileira seja alérgica. Qualquer alteração pode gerar a rinossinusite, popularmente conhecida como sinusite. Dentro do nariz existem os cornetos, responsáveis por purificar, aquecer e umidificar o ar que respiramos. Alterações externas (como de temperatura ou poluição do ar) e internas (emocional, estresse e alergia) afetam diretamente esses cornetos podendo provocar a rinossinusite. Ela pode causar febre, diminuição do olfato, dores de cabeça, além de outros sintomas que variam de pessoa para pessoa. A primeira coisa que deve-se observar para detectar a ocorrência de uma rinossinusite é a existência de um muco, que é expelido quando a pessoa assoa o nariz ou o escorre pela garganta. Esse muco fica entre a garganta e o nariz e pode provocar dor de cabeça, tosse e febre. No início o muco é transparente, mas com o tempo ganhará uma aparência mais consistente e mudará de cor (amarelada e esverdeada), nesse caso a pessoa já estará com sinusite e precisará tomar antibiótico. Inicialmente a secreção translúcida pode ser confundida com início de gripe, mas passados sete a dez dias com a permanência do muco a pessoa estará com sinusite, mesmo que ela não tenha dor de cabeça. A sinusite pode ocorrer dos dois lados da face, mas normalmente é unilateral, que pode ser na região etmoidal, frontal e maxilar. Na criança provoca tosse e obstrução nasal podendo ter uma ocorrência maior do que nos adultos, já que os seios maxilares ainda não estão totalmente desenvolvidos. A dor provocada pela rinossinusite dependerá das terminações nervosas e da anatomia de cada nariz. Na suspeita de uma rinossinusite é necessário procurar um médico. Para prevenir, é necessário, consumir pelo menos dois litros de água por dia para facilitar a eliminação das secreções, juntamente com o uso do soro fisiológico para a lavagem das narinas de duas a três vezes ao dia. queima de 48 horas
RINOSSINUSITE A rinite é uma inflamação da mucosa nasal, que reveste desde a parede do nariz até os seios da face. Podem ser alérgicas, infecciosas, de causa desconhecida, hormonais ou medicamentosas. A rinite alérgica é uma doença inflamatória comum na infância, sendo a principal causa de obstrução nasal nos consultórios de pediatras e alergistas. Espirros em salva, coriza, prurido e obstrução nasal são os principais sintomas. A rinite alérgica compromete a qualidade de vida, ajuda a aumentar a estatística das sinusites e otites médias, contribuindo em determinadas ocasiões para o crescimento desarmônico crânio facial. Estima-se que 20% da população brasileira seja alérgica. Qualquer alteração pode gerar a rinossinusite, popularmente conhecida como sinusite. Dentro do nariz existem os cornetos, responsáveis por purificar, aquecer e umidificar o ar que respiramos. Alterações externas (como de temperatura ou poluição do ar) e internas (emocional, estresse e alergia) afetam diretamente esses cornetos podendo provocar a rinossinusite. Ela pode causar febre, diminuição do olfato, dores de cabeça, além de outros sintomas que variam de pessoa para pessoa. A primeira coisa que deve-se observar para detectar a ocorrência de uma rinossinusite é a existência de um muco, que é expelido quando a pessoa assoa o nariz ou o escorre pela garganta. Esse muco fica entre a garganta e o nariz e pode provocar dor de cabeça, tosse e febre. No início o muco é transparente, mas com o tempo ganhará uma aparência mais consistente e mudará de cor (amarelada e esverdeada), nesse caso a pessoa já estará com sinusite e precisará tomar antibiótico. Inicialmente a secreção translúcida pode ser confundida com início de gripe, mas passados sete a dez dias com a permanência do muco a pessoa estará com sinusite, mesmo que ela não tenha dor de cabeça. A sinusite pode ocorrer dos dois lados da face, mas normalmente é unilateral, que pode ser na região etmoidal, frontal e maxilar. Na criança provoca tosse e obstrução nasal podendo ter uma ocorrência maior do que nos adultos, já que os seios maxilares ainda não estão totalmente desenvolvidos. A dor provocada pela rinossinusite dependerá das terminações nervosas e da anatomia de cada nariz. Na suspeita de uma rinossinusite é necessário procurar um médico. Para prevenir, é necessário, consumir pelo menos dois litros de água por dia para facilitar a eliminação das secreções, juntamente com o uso do soro fisiológico para a lavagem das narinas de duas a três vezes ao dia. queima de 48 horas

25 de set de 2016

Vacinação – procure um dos postos de saúde até o dia 30 de setembro



QUEM AMA CUIDA

A Campanha Nacional de Multivacinação, que ocorre em todo o Brasil, começou no dia 19 e vai até o dia 30 de setembro. O objetivo principal da campanha é estimular que os pais levem os filhos para colocar em dia a carteira de vacinação. A apresentação da carteira será fundamental para o atendimento.

As vacinas que fazem parte do Calendário de Vacinação da Criança e do Adolescente estarão disponíveis, entre elas a tríplice viral (proteção contra sarampo, caxumba e rubéola), dupla adulto (proteção contra difteria e tétano), HPV (proteção contra câncer de colo de útero e verrugas genitais) e a nova pólio oral bivalente (prevenção contra poliomielite).

Pela primeira vez, serão oferecidas todas as vacinas disponíveis pelo SUS para crianças de até 5 anos e para crianças e adolescentes entre 9 e 15 anos incompletos, incluindo a imunização contra HPV para meninas. Conforme levantamento da Secretaria Estadual da Saúde, mais de 1,6 milhão de crianças e jovens fazem parte dessas faixas etárias.

Contra pólio, devem ser vacinadas crianças entre 6 meses e 5 anos de idade que ainda não tenham completado o esquema vacinal – que consiste em três doses da vacina injetável e mais duas doses de reforço em versão ora, a gotinha. Crianças que fizeram cinco anos em 2016 são consideradas imunizadas contra a poliomielite